1/6/2021

Consumir 5 porções de frutas e vegetais diariamente reduz risco de mortalidade

Se você quer melhorar a sua saúde de forma fácil e acessível, inclua cinco porções diárias de frutas e vegetais na sua rotina. Os alimentos precisam ser consumidos em sua forma integral, e não em forma de sucos.


Um estudo recente realizado pela Associação Americana do Coração analisou dados de aproximadamente 2 milhões de adultos em todo o mundo e confirmou as diretrizes já indicadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS). A pesquisa, que acompanhou a rotina e os hábitos alimentares de cerca de 100 mil americanos, e investigou os dados de outros 26 estudos internacionais, concluiu que um maior consumo de frutas e vegetais foi associado a uma menor mortalidade.


Segundo os dados, as pessoas que ingeriram cinco porções diárias de frutas e vegetais tiveram um risco 13% menor de morte por qualquer causa do que as pessoas que comeram apenas duas porções de frutas e vegetais ao dia. 


O consumo de cinco porções  diárias também foi relacionado a um risco 12% menor de morte por doenças cardiovasculares, um risco 10% menor de morte causada por câncer e um risco 35% menor de morte causada por doenças respiratórias.


De acordo com a pesquisa, o ideal é que as porções sejam divididas entre duas porções de frutas diárias e três de vegetais. A análise dos dados dos participantes indicou que essa é a quantidade que oferece o maior benefício em termos de prevenção de doenças crônicas. Em paralelo, um consumo maior do que o de cinco porções não indicou benefício adicional na saúde.


Os pesquisadores, ainda, evidenciaram as diferenças entre tipos de frutas e vegetais. De acordo com eles, legumes ricos em amido, como as batatas, não demonstraram tantos benefícios de prevenção. Por outro lado, verduras ricas em compostos como  betacaroteno e vitamina C, como espinafre, couve e cenoura, indicaram maiores benefícios.


As evidências reforçam a ideia de que, quando consumidas de forma adequada, as frutas e vegetais são grandes aliados em uma estratégia alimentar e chamam a atenção para a importância da promoção do consumo desses alimentos, seja por meio de campanhas públicas de saúde ou até mesmo por profissionais da área.


Voltar para artigos